Ad Code

Astronauta da Nasa retorna à Terra após 371 dias no espaço

 

Foto: Divulgação/Nasa

Frank Rubio, astronauta da Nasa, retornou à Terra após bater o recorde de permanência de 371 dias no espaço. O cientista pousou no Cazaquistão a bordo da cápsula russa Soyuz MS-23 na manhã desta quarta-feira (27).

A tripulação, composta por Rubio e dois cosmonautas russos, Sergey Prokopyev e Dmitri Petelin, deveria passar apenas seis meses a bordo da Estação Espacial Internacional. No entanto, a missão durou mais de um ano devido a um vazamento de líquido refrigerante vindo de sua viagem original enquanto estava acoplado ao posto avançado em órbita.

Rubio, Prokopyev e Petelin foram lançados a bordo do veículo Soyuz MS-22 em 21 de setembro de 2022, e chegaram à estação espacial três horas depois.

De acordo com informações da CNN, a espaçonave provavelmente foi atingida por um pequeno objeto em órbita e foi considerada inadequada para devolver os astronautas. Por conta disso, as autoridades determinaram que a estadia da tripulação seria prolongada enquanto a Roscosmos, agência espacial russa, preparava mais uma cápsula Soyuz, para lançar uma nova tripulação para os substituir.

O veículo substituto – o Soyuz MS-23 – foi lançado em fevereiro.

Recordes do astronauta

A missão deu a Rubio o novo recorde para o tempo mais longo que um astronauta americano já passou em microgravidade. Ele também se tornou o primeiro americano a registrar um ano inteiro em órbita e o primeiro astronauta de origem salvadorenha a viajar para órbita baixa da Terra.

Segundo Rubio, em entrevista à CNN, ele “provavelmente teria recusado” a missão se soubesse que a duração levaria o dobro do tempo inicialmente planejado na estação espacial.

“E isso é apenas por causa de coisas de família que aconteceram no ano passado [...] E se eu soubesse que teria que perder esses eventos muito importantes, eu simplesmente teria que dizer ‘obrigado, mas não, obrigado’”, revelou.

Efeitos do longo período no espaço

Além de astronauta, Rubio é médico e piloto de helicóptero militar com mais de 600 horas de experiência em combate. Ainda em entrevista, ele comentou sobre os efeitos que o longo período em microgravidade podem ter causado em seu corpo. Ele disse estar consciente que levará meses até que volte às atividades normalmente.

"Não estamos andando, não estamos suportando nosso próprio peso (enquanto estamos no espaço) e, portanto, levará de dois a seis meses para que eu essencialmente diga que me sinto normal”, afirmou.

"Aqui em cima temos o zumbido constante das máquinas que nos mantêm vivos. E estou ansioso para simplesmente estar ao ar livre e desfrutar da paz e tranquilidade", completou.

Postar um comentário

0 Comentários

Ad Code

Responsive Advertisement