Ad Code

Moradores denunciam frigorífico por suspeita de despejar sangue e vísceras de animais em córrego

Foto: Reprodução/TV globo 


Moradores de Betim, na Grande BH, denunciam que o frigorífico Frigobet está causando danos ambientais a um córrego da cidade. A empresa é suspeita de despejar sangue e vísceras de animais no Riacho das Areias.

Equipe de reportagem da TV Globo esteve no local, nesta terça-feira (21), e não registrou o descarte irregular, mas relatou que havia muito mau cheiro, comparado à carne podre. Policiais militares do Meio Ambiente também estiveram na região.

Um morador, que pediu para não ser identificado, falou sobre o mau cheiro no lugar, principalmente na parte da tarde, quando está mais calor.

"Há uns 15 dias está um odor muito grande e solta uma fumaça ali, que é insuportável. Na parte da tarde, é quase impossível aguentar o odor, de tão forte que é. Às vezes, eles soltam um sangue, pedaços de restos de animais, né? Aí vem aquele cheiro forte", disse.

O córrego fica no meio das pistas da Avenida Juiz Marco Túlio Isaac, entre os bairros Imbiruçu e Jardim Teresópolis.


O que diz a Prefeitura de Betim

"Nessa segunda (20), equipes de plantão da Fiscalização Ambiental do município percorreram mais de 1 km da avenida Marco Túlio Isaac, na altura do bairro Laranjeiras, para coletar as primeiras evidências do lançamento de efluentes no Riacho das Areias.

Nesta terça (21), o trabalho das equipes da Fiscalização Ambiental inclui a análise documental dos processos de licenciamento de todos os empreendimentos adjacentes a esse lançamento de efluentes não tratados para apuração detalhada do fato.

Em seguida, nova diligência in loco será realizada para complementar os dados apurados nos documentos. A previsão é que até o fim do dia a prefeitura tenha informações suficientes para instaurar um processo de infração contra o responsável.

A Prefeitura de Betim ressalta a importância de um trabalho minucioso para assegurar a eficácia das atividades de fiscalização, eliminando qualquer possibilidade de impunidade decorrente de equívocos no ato fiscalizatório".


Fonte: G1

Postar um comentário

0 Comentários

Ad Code

Responsive Advertisement